domingo, 8 de janeiro de 2012

WWE Friday Night Smackdown 6/1/2012



Um grande Smackdown que se esperava com dois campeonatos em disputa: Cody Rhodes defenderia o seu título Intercontinental contra o lendário Booker T e o World Heavyweight Champion Daniel Bryan colocaria o seu título em linha contra Big Show. Muito mais a preencher compõe um excelente Smackdown nesta etapa inicial do caminho à Royal Rumble.



Antes de começar o novo episódio somos lembrados do incidente de Randy Orton que sofreu uma queda abaixo de uma escadaria nas mãos de Wade Barrett, no final de um combate Falls Count Anywhere. Mais informação sobre o incidente teríamos a seguir.

Cody Rhodes derrota Booker T pelo Intercontinental Championship e retém o título


Começamos logo com um dos principais combates da noite. Numa rivalidade entre o jovem Campeão e o comentador que se encontrava empatada por 1-1, o “5 time, 5 time, 5 time champ” queria dar uma lição a Cody retirando-lhe o título. Com esse background esperava um excelente combate e não estava errado. Booker T ainda em excelente forma e ambos a trabalhar lindamente em conjunto. Rhodes consegue o “kick out” após um Scissors Kick para choque de Booker T e finaliza com o “Beautiful Disaster”. No final, um Booker T desiludido é aplaudido pelos fãs.


Pós-combate, o seu irmão Dustin Rhodes – que não anda com a sua gimmick de Goldust – dá-lhe os parabéns pela vitória. Cody, pouco se importa e volta a desrespeitar o seu irmão mais velho.

Já no escritório de Teddy Long, volta-se a discutir a posição de Drew McIntyre que precisa de ganhar combates para manter o seu emprego. Do outro lado, Santino Marella pretende candidatar-se ao posto de assistente de Teddy Long – indicado por Zack Ryder que inicia o segmento. Teddy Long marca um combate entre ambos. Se Santino vence, ganha o posto. Se Drew vence, tem uma oportunidade de se manter no plantel. Aksana finaliza o segmento.

Recordamos a Royal Rumble de 2008 em que John Cena regressa após uma ausência de meses para vencer.

Num corredor, AJ discute com Alicia Fox a preocupação que sente pelo seu recente namorado Daniel Bryan para o combate com Big Show. O cada vez mais arrogante Bryan interfere confiante, achando que não há razões para preocupações.

Hornswoggle derrota Heath Slater num Over-the-Top-Rope Challenge

Nada de bom podia sair daqui. Heath Slater já andava lá no fundo, mas perder para o Hornswoggle, é o fundo do poço para muitos. Heat para Slater assim que apenas toca em Hornswoggle e eventualmente o “leprechaun” consegue mandar o “One-Man Southern Rock Band” para fora por cima da corda, puxando-o pelos cabelos. Cheguei mesmo a ter pena do ex-Tag Team Champion. Valeu o ataque a seguir a ‘Swoggle, que fez com que Justin Gabriel o viesse salvar. Se isto indica uma feud mais longa entre Gabriel e Slater, isso já não me importo de ver.

Hunico derrota Ted DiBiase

Vem Hunico mais uma vez de bicicleta acompanhado pelo seu parceiro Camacho, falando com “ese” para aqui e “ese” para acolá sobre a “DiBiase Posse”. O combate mostrou Hunico como cada vez mais surpreendente e cada vez gosto mais do talento deste gajo no ringue. No final, venceu com uma estranha combinação de pin e submissão que nunca tinha visto antes. Espero um bom futuro para este Mexicano.

Update do estado de saúde de Randy Orton + Promo de Wade Barrett e Sheamus


Após Wade ter sido visto no backstage com os médicos, é o próprio ex-líder dos Nexus que se dispõe a comunicar o estado de Randy Orton após a queda da semana anterior. A lesão de Randy, como já se espalhava pela Internet, consta que seja uma hérnia discal e cuja gravidade da situação parece ser uma mistura da realidade e do kayfabe. Pelos vistos, o The Viper está a recuperar muito bem, mas isso não foi mencionado. Wade Barrett aproveitou esse mesmo tempo para promover a Royal Rumble e a sua convicta vitória, até ser interrompido por Sheamus que se apresenta como um dos principais obstáculos para Wade, com as suas histórias de família. Junta-se ao confronto Jinder Mahal que esbofeteia Sheamus, dando origem a uma rixa de 2 contra um, da qual o Great White saiu por baixo após um Winds of Change de Barrett e um Punjabi Clutch de Mahal.



Santino Marella derrota Drew McIntyre

Muitos jurariam que era desta que McIntyre vencia um combate. E após os habituais rituais cómicos de Santino, a agressividade de McIntyre parecia estar a encaminhá-lo para a vitória. Falso alarme, assim que Santino consegue uma aberta, aplica o seu mortífero “Cobra” e ganha o combate. O desespero de McIntyre após o combate era muito evidente.

Após o combate, Drew McIntyre não esconde o seu desespero no backstage a Teddy Long, procurando uma justificação. O GM do Smackdown deu-lhe uma última oportunidade na próxima semana. Espero bem que seja desta e que depois seja sempre a subir, que este McIntyre, sendo bem utilizado pode ser um dos meus favoritos. Em contraste à aflição de Drew, um exaltadíssimo Santino celebra a sua vitória com Teddy Long.

Primo & Epico derrotam Air Boom

Os Tag Team Champions afinal sempre têm algum direito a tempo em TV e mostram-se prontos para enfrentar de novo a equipa de Primo e Epico acompanhados pela sempre hilariante Rosa Mendes que ainda nos deu uma promo em castelhano antes do combate. Com spots aéreos, tags e double teams para um lado e “MIRALO!”, “TE GUSTA!” e “POBRECITO!” para outro, estas duas equipas voltaram a ter um bom combate e ainda estou à espera de um confronto verdadeiramente épico em PPV, porque potencial têm eles. O combate acabou assim que Epico salva Primo de um Airbourne. A queda falhada de Bourne foi suficiente para a contagem de 3, que deu a vitória a Primo.

Entretanto, Matt Striker entrevista o confiante Big Show que foi interrompido por Daniel Bryan que, com esta atitude, se ainda não é Heel está lá quase. Michael Cole ainda o odeia como tudo, no entanto…

Ficamos entretanto a saber que ficou marcado para a próxima semana um combate entre Sheamus e Jinder Mahal devido ao conflito anterior.

Tamina derrota Natalya

Após a Face Turn de Tamina na semana passada, é a vez destas duas talentosas Divas ajustarem contas. Acrescenta-se um conflito familiar – Tamina, filha de Jimmy Snuka e Natalya, filha de Jim Neidhart – e temos tudo para um bom combate de Divas, visto que estas duas encontram-se entre as melhores. No entanto, não lhes quiseram dar muito tempo na mesma. No entanto, mesmo curto houve raiva, intensidade e agressividade, algo raro em combates femininos actualmente. Tamina rapidamente venceu com o Superfly Splash, mas já deu para perceber que estas duas conseguiriam carregar um bom combate mais longo.

Antes do esperado main event ainda temos duas das habituais vinhetas: o Raw Rebound que lembra o conflito Cena vs Kane e a recordação da primeira Royal Rumble de 1988, com Jim Duggan a sair vencedor.

Daniel Bryan derrota Big Show pelo World Heavyweight Championship por desqualificação e retém o título


Daniel Bryan entra ao som de heat por parte do público mostrando que a este ponto já tem que ser Heel. E se ainda não era suficiente, mais tarde teríamos a certeza. Antes dos competidores entrarem, Mark Henry dirige-se à mesa de comentários para analisar o confronto e o seu possível futuro adversário. O combate assim como queria, demonstrou-se muito bom. Daniel Bryan, um dos talentos de topo na companhia teve os seus momentos de dureza – não pareceu fraco perante Big Show, ao contrário do que se especulava – e, sangrando da boca, fez um óptimo trabalho. Já Big Show com o seu tamanho a atrapalhar por vezes, posto com um bom worker consegue ainda dar algum espectáculo.



Houve momentos em que parecia que Daniel Bryan iria vencer, mas Big Show demonstrou-se como sendo muito forte, obrigando o World Champion a desdenhar um plano. Dirigiu-se a Mark Henry, na mesa de comentários e provocou-o através de insultos. Isso causou o mal humorado Henry a atacar Bryan, acabando o combate em desqualificação e Daniel Bryan a celebrar o seu título mantido. Não sei em que ponto Michael Cole reconhecerá o seu plano como inteligente, assim que Daniel Bryan se estabelece no lado Heel, ou se ele será sempre o “butt monkey” de Cole. O Smackdown acaba com um Big Show desiludido e furioso, Mark Henry a aperceber-se do seu erro e da esperteza do campeão e Bryan a celebrar loucamente.



Que voltas irá isto dar na próxima semana e como se continuará a desenvolver esta nova atitude de Daniel Bryan, ficaremos a saber no próximo Smackdown.

Notas:

- Cody Rhodes venceu com um move que normalmente não funciona como finisher.

- Se Aksana com os seus trocadilhos já deixava a classificação “PG” do programa a tremer, então agora com Santino Marella e as suas analogias à sua “Cobra”, isto descamba duma vez.

- Poderá haver algo para fazer com Sheamus agora se se levar este angle com Wade Barrett e Jinder Mahal para a frente. É de lembrar que desde que Christian se lesionou, que Sheamus tem andado perdido no plantel, apenas somando vitórias com jobbers.

- Michael Cole faz um comentário acerca do Smackdown ser dirigido pela dupla de Teddy Long e Santino Marella dizendo que terá o mesmo destino que a WCW. Como sabemos, a WCW bateu no fundo, faliu e foi comprada por Vince, mas muitos culpam o booking de um tal de Vince Russo que actualmente trabalha numa outra companhia que conhecemos bem… Boca intencional ou a analogia não era direccionada para aí?

- Com mais esta derrota, nos últimos 6 meses Drew McIntyre possivelmente soma apenas um total de duas vitórias.

- Antes do main event vimos uma vinheta com factos sobre cada um dos wrestlers. Chamaram a esse segmento "Tale of the Tape"... Onde é que já ouvi isso antes?

- Daniel Bryan e AJ têm recentemente uma relação on-screen. Com esta Heel Turn, irá AJ virar também para o lado negro?

Vídeos


Download


1 comentário:

  1. A heel turn do Bryan proporciounou-me uma boa muda de interior.

    ResponderEliminar